sexta-feira, 24 de julho de 2009

A luz apagou...

Você se foi. Se foi dos meus braços, dos meus olhos, se foi para sempre.
Nunca mais vou poder te abraçar, afofar seu cabelinho loiro e ouvir você cantando desafinado e lindo sempre a mesma música, enquanto faz o melhor feijão de todos.

Como será que eu posso expressar todo o meu amor por você ?
Como eu posso expressar essa dor sem limites, essa dor traiçoeira e maldita que apunhala, que machuca lá no fundo ?
Como eu posso entender ?
Como eu fui perder você ?
E agora, como vai ser ?
Só sei que eu estou decidido a te dedicar todos os meus dias. Tudo o que eu conseguir, tudo o que eu conquistar, todas as minhas alegrias, serão para e por você.
Sinto em meu peito um buraco escuro e frio. Mas ao mesmo tempo sinto em minha alma o calor da sua. Em meu sorriso apagado, surge o seu sorriso contagiante e lindo, seu sorriso que era sempre sincero e marcante. Em meus olhos cheios de lágrimas, seus lindos olhos azuis. Azulzinhos que, como um acordo com seu sorriso, se fechavam e sua gargalhada corria solta pelo mundo. Como eu gostava de te ver sorrindo. E dentro do meu coração fraco, agora palpita o seu coração, forte, enorme, alegre. Dentro dos meus passos sem destino agora habitam os seus passos firmes e fortes. Seus passos decididos, que corriam pelo seu jardim, que corriam pela farmácia e pela padaria e pela vida. Sua mágica e incrível vida.
Como foi difícil te ver dormindo. Te ver deitadinha lá. Que aperto.
Sua mágica e incrível vida terminou. Parte dela. Mas sua vida continua dentro de mim.
Te espero em meus sonhos.

E, como me dói dizer isso só agora, pois a vergonha me impossibilitou de dizer isso, mas sempre me foi fiel e persistente esse sentimento: eu amo você.