segunda-feira, 23 de junho de 2008

King Size

Deitei na cama king size do terceiro quarto da casa. Deitei, abracei o travesseiro e comecei a cantar: “ Marina, morena Marina, você se pintou...” É a música favorita da minha vó, logo, é a minha favorita também. Mas isso só depois de Poema, com Ney Matogrosso.
Isso foi só uma introdução
.
.
.
Você me traiu. Inúmeras vezes você me traiu. Antes, durante e depois, você só me traiu. O problema é que eu gostava de você. Eu amava você. PORRA! Por isso eu ficava feliz quando você me traia. Porque, de algum jeito, você estava comigo. Você me traía porque era meu. Antes ser traído por você do que não poder chorar à noite na King Size. Eu sabia da sua existência. Essa ilusão suja de amor já me deixava bem. Quase feliz. Mas, feliz mesmo, eu fui só uma vez, com um cara que eu não vou falar o nome. Depois, você pegou o primeiro avião e fugiu de mim. A gente transou, você gozou por todo o meu corpo e eu pensei: Dessa vez ele me amou – ou comeu - com o coração. Mentira, é claro. Alguma vez ele me amou? Quis dormir abraçado com ele, mas antes de fechar meus braços no corpo dele, ele se levantou, se vestiu, olhou pra mim sem dizer nada, foi até a porta, chamou o elevador e desceu. Eu olhei pra cima, para os lados, peguei um papel e uma caneta, fiz meus desabafos e desisti do amor. É, eu desisti do amor. Ele machuca demais. Às vezes me faz gozar, mas me machuca demais.

Um comentário:

Cá disse...

Ai Vi.. é triste ao mesmo tempo bonito... e submisso.. hahahahaha
só você mesmo!!!
Te amo deeeeeeemais..
nunca me esquece, pq senão eu vou mandar você e tooooda a sua familia.. já sabe...